Arquivo da tag: #umpoemapordia

Não se mate – Carlos Drummond de Andrade #umpoemapordia

Carlos, sossegue, o amor é isso que você está vendo: hoje beija, amanhã não beija, depois de amanhã é domingo e segunda-feira ninguém sabe o que será. Inútil você resistir ou mesmo suicidar-se. Não se mate, oh não se mate, … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Julga-me a gente toda por perdido – Luís de Camões #umpoemapordia

Julga-me a gente toda por perdido, Vendo-me tão entregue a meu cuidado, Andar sempre dos homens apartado E dos tratos humanos esquecido. Mas eu, que tenho o mundo conhecido, E quase que sobre ele ando dobrado, Tenho por baixo, rústico, … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Riqueza – Gabriela Mistral #umpoemapordia

Tenho a fortuna fiel e a fortuna perdida. Uma assim como a rosa, a outra assim como espinho. Não me prejudicou o roubo que sofri. Tenho a fortuna fiel e a fortuna perdida. E estou rica de púrpura e de … Continuar lendo

Publicado em poesia, Sem categoria | Marcado com , , | Deixe um comentário

Poema Didático – Paulo Mendes Campos #umpoemapordia

Não vou sofrer mais sobre as armações metálicas do mundo Como o fiz outrora, quando ainda me perturbava a rosa. Minhas rugas são prantos da véspera, caminhos esquecidos, Minha imaginação apodreceu sobre os lodos do Orco. No alto, à vista … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

E então, que quereis? – Vladimir Maiakovski #umpoemapordia

Fiz ranger as folhas de jornal abrindo-lhes as pálpebras piscantes. E logo de cada fronteira distante subiu um cheiro de pólvora perseguindo-me até em casa. Nestes últimos vinte anos nada de novo há no rugir das tempestades. Não estamos alegres, … Continuar lendo

Publicado em poesia, Sem categoria | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

Algo – Murilo Mendes #umpoemapordia

O que raras vezes a forma Revela O que, sem evidência, vive. O que a violeta sonha, O que o cristal contém Na sua primeira infância.

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A Grande Conta – Konstantinos Kaváfis #umpoemapordia

Se eu sou feliz ou infeliz, eis uma pergunta que não me faço. A única coisa em que penso sempre com alegria – é que na grande conta (a conta deles, a que detesto) com todas as suas cifras, eu … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário