Arquivo do autor:jhcordeiro

Only – Nine Inch Nails

I’m becoming less defined As days go by Fading away Well you might say I’m losing focus Kinda drifting into the abstract In terms of how I see myself Sometimes I think I can see right through myself Sometimes I … Continuar lendo

Publicado em musica | Marcado com , , | Deixe um comentário

Sete Poemas do Pássaro – Orides Fontela #umpoemapordia

I O pássaro é definitivo por isso não o procuremos: ele nos elegerá. II Se for esta a hora do pássaro abre-te e saberás o instante eterno. III Nunca será mais a mesma nossa atmosfera pois sustentamos o vôo que … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A melhor animação de todos os tempos

As imagens não me saem da cabeça. Cada cena da animação O Conto dos Contos, do russo Yuri Norstein, é delicadamente estruturada numa teia onírica, te envolvendo num universo mágico, poético, sublime. Poderia gerar angústia, porque se você não é russo … Continuar lendo

Publicado em animação, arte, filmes | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Somos seres múltiplos (entrevista com Jonathan Franzen)

“Quando o discurso se torna polarizado, e na internet isso acontece rapidamente, não é permitido ter duas opiniões sobre a mesma coisa. Você precisa ter uma única opinião. Há uma simplificação radical online, que é parte da polarização. Isso vai … Continuar lendo

Publicado em comportamento, internet | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

O Quarto Branco – Charles Simic #umpoemapordia

O óbvio é difícil de provar. Muitos preferem o oculto. Eu também preferia. Eu escutava as árvores. Elas guardavam um segredo que estavam prestes a me revelar — e não o fizeram. Veio o verão. Cada árvore de minha rua … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

A lua, quando ela roda

Rotação completa da lua vista do Lunar Reconnaissance Orbiter, satélite da Nasa.

Publicado em Sem categoria | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O mundo estava no rosto da amada – Rainer Maria Rilke #umpoemapordia

O mundo estava no rosto da amada – e logo converteu-se em nada, em mundo fora do alcance, mundo-além. Por que não o bebi quando o encontrei no rosto amado, um mundo à mão, ali, aroma em minha boca, eu … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário