Arquivo do autor:jhcordeiro

Anfiguri – Vinicius de Moraes #umpoemapordia

Aquilo que eu ouso Não é o que quero Eu quero o repouso Do que não espero. Não quero o que tenho Pelo que custou Não sei de onde venho Sei para onde vou. Homem, sou a fera Poeta, sou … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

A história de Therèse

Therèse Abakar, jovem do Chade de 26 anos que foi sequestrada pelo Boko Haram com seus cinco filhos e conseguiu escapar – infelizmente apenas com o seu caçula. A história dela foi contada pelo jornal El Periódico, de Barcelona.    … Continuar lendo

Publicado em fotografia, internacional, mulheres | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Eu-Mulher – Conceição Evaristo #DiadoPoeta #umpoemapordia

Uma gota de leite me escorre entre os seios. Uma mancha de sangue me enfeita entre as pernas Meia palavra mordida me foge da boca. Vagos desejos insinuam esperanças. Eu-mulher em rios vermelhos inauguro a vida. Em baixa voz violento … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Segredos pregados por aí

“(…) Agora não tenho mais segredos. Já estão todos pregados por aí.” (de O Último Suspiro do Mouro, de Salman Rushdie)

Publicado em livros | Marcado com , , | Deixe um comentário

Quem procura muito, nada encontra – Herman Hesse

(…) talvez procuras demais, que de tanta busca, não tens tempo para encontrar coisa alguma. – Por quê? – perguntou Govinda. – Quando alguém procura muito – explicou Sidarta – pode facilmente acontecer que seus olhos se concentrem exclusivamente no … Continuar lendo

Publicado em filosofia, livros | Marcado com , | Deixe um comentário

Aos que virão depois de nós – Bertold Brecht #umpoemapordia

Realmente, vivemos tempos muito sombrios! A inocência é loucura. Uma fronte sem rugas denota insensibilidade. Aquele que ri ainda não recebeu a terrível notícia que está para chegar. Que tempos são estes, em que é quase um delito falar de … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Não se mate – Carlos Drummond de Andrade #umpoemapordia

Carlos, sossegue, o amor é isso que você está vendo: hoje beija, amanhã não beija, depois de amanhã é domingo e segunda-feira ninguém sabe o que será. Inútil você resistir ou mesmo suicidar-se. Não se mate, oh não se mate, … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário