Arquivo da categoria: poesia

Sete Poemas do Pássaro – Orides Fontela #umpoemapordia

I O pássaro é definitivo por isso não o procuremos: ele nos elegerá. II Se for esta a hora do pássaro abre-te e saberás o instante eterno. III Nunca será mais a mesma nossa atmosfera pois sustentamos o vôo que … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O Quarto Branco – Charles Simic #umpoemapordia

O óbvio é difícil de provar. Muitos preferem o oculto. Eu também preferia. Eu escutava as árvores. Elas guardavam um segredo que estavam prestes a me revelar — e não o fizeram. Veio o verão. Cada árvore de minha rua … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

O mundo estava no rosto da amada – Rainer Maria Rilke #umpoemapordia

O mundo estava no rosto da amada – e logo converteu-se em nada, em mundo fora do alcance, mundo-além. Por que não o bebi quando o encontrei no rosto amado, um mundo à mão, ali, aroma em minha boca, eu … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Mas depois da revolução…

Manifesto (2015) – Jules Rosefeldt

Publicado em civilização, poesia | Marcado com | Deixe um comentário

Face a Face – Cacaso #umpoemapordia

São as trapaças da sorte são as graças da paixão pra se combinar comigo tem que ter opinião Morena quando repenso no nosso sonho fagueiro o céu estava tão denso inferno tão passageiro uma certeza me nasce e abole todo … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Anfiguri – Vinicius de Moraes #umpoemapordia

Aquilo que eu ouso Não é o que quero Eu quero o repouso Do que não espero. Não quero o que tenho Pelo que custou Não sei de onde venho Sei para onde vou. Homem, sou a fera Poeta, sou … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Eu-Mulher – Conceição Evaristo #DiadoPoeta #umpoemapordia

Uma gota de leite me escorre entre os seios. Uma mancha de sangue me enfeita entre as pernas Meia palavra mordida me foge da boca. Vagos desejos insinuam esperanças. Eu-mulher em rios vermelhos inauguro a vida. Em baixa voz violento … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário