Nada Acontece Duas Vezes – Wislawa Szymborska #umpoemapordia

Nada acontece duas vezes
e nem acontecerá. Por este motivo
nasceremos sem prática
e morreremos sem rotina.

Mesmo que fossemos os mais estúpidos
alunos do mundo na escola,
não vamos repetir
nenhum inverno, nenhum verão.

Nenhum dia se repete,
não há duas noites iguais,
dois beijos do mesmo jeito,
duas mesmas trocas de olhar.

Ontem, que alguém pronunciou
teu nome alto perto de mim,
foi como se uma rosa me tivessem
atirado por uma janela aberta.

Hoje, que estamos juntos,
virei o rosto para a parede.
Rosa? Como é uma rosa?
É uma flor? Talvez uma pedra?

Por que tu, hora ruim,
te confundes com um medo desnecessário?
Se és – então tens de passar.
Se passarás – então será bela.

Sorridentes, abraçados,
tentaremos buscar um acordo,
mesmo que sejamos diferentes
como dois pingos de água limpa.

Captura de Tela 2016-08-26 às 13.56.59Poema de Wislawa Szymborska, autora, crítica literária e tradutora polonesa que recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1996. Foi do Partido Comunista polonês, e por isso foi muito criticada, por seu apoio ao regime stalinista na URSS. Rompeu com o partido em 1966. A Companhia das Letras editou um livro de poesias dela.

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Learn to Fly – Twinemen

Deep inside a hole
At the bottom of a well
I think you understand it
Yes we’ve all been there

There’s nowhere left to go
At the bottom of a hole
When the wheels are coming off
And the walls come in around you

Spread your wings and fly
It’ll probably astound you
When you’re in the air
No one can find you

Prepare for flight
You prepare for flying
You prepare for the flight
Learn to fly
Learn to fly
Learn to fly

All the distant shores don’t know
All the places that you’ve seen
All the storms below
The places that you’ve been

It’s higher in the air
It’s so high
Reflections of light
Reflexes of flight

All the distant shores don’t know
All the places that you’ve seen
All the storms below
The places that you’ve been

All the distant shores don’t know
All the things that you’ve been told
From influential guests
The advisor gave his best

Do you mind if I suggest
I think that I should say
If you wanna live this life
Learn to fly

Learn to fly

Learn to fly
Learn to fly
Learn to fly

(Twinemen foi criada após a morte do Mark Sandman, líder do grupo Morphine. Os integrantes remanescentes decidiram continuar tocando juntos, convidaram a Laurie Sargent pra assumir os vocais e gravaram três discos espetaculares. Mês passado, escrevi aqui sobre outra banda ligada ao Mark Sandman e seu grupo Morphine, Treat Her Right – uma banda legal dos anos 80, que deu origem a uma banda maneira dos anos 90, que por sua vez gerou outro grupo phueda nos anos 2000. Um ciclo e tanto. Abaixo, um show de 2002 do Twinemen, em Chicago)

Publicado em musica | Marcado com , | Deixe um comentário

A cena musical de Blockhead

Conheci esse Blockhead hoje graças ao algoritmo do Youtube, que oferece todo dia uma lista diferente de artistas pra gente conferir. E como bom expedicionário musical que sou, cliquei pra ver qual é. Ponto pro aleatorismo.
Ok, confesso, meu aleatorismo está afinado, quase sob controle (como se fosse possível, mas enfim…). Neste caso, fui atraído pra The Music Scene (2009) pela capa, pela descrição do vídeo publicado no Youtube e pelos comentários. Pois então, eis a fórmula de meus encontros com tais fortuitas sonoridades: uma capa interessante, boa e relevante descrição do trabalho e comentários que acrescentem algo – sendo assim, dificilmente o som me desagradará. Desde que adotei esse, digamos, código de conduta online, descobri muita coisa boa e evitei grandes furadas (principalmente aquelas incensadas por certos modismos e elogios panfletários).
Blockhead é um clássico artista de hip hop de Manhattan, NY, mas aqui deu um passo além, criando uma teia de sonoridades que extrapola sua zona de conforto – é tão legal saber que ainda temos artistas dispostos a isso!
O disco completo:

Publicado em musica | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Big Medice – Treat Her Right

Treat Her Right é uma bandinha maneira dos anos 80 que gerou outra bandinha maneira nos anos 90 (a Morphine). Em comum, além do vocalista e baixista Mark Sandman e o baterista Billy Conway, uma sonoridade meio blues, meio rockabilly, com pegada roquenrol e clima vudu-entorpecido do pântano mais próximo.

Quando comprei esse LP por algumas merrecas anos atrás no Rio numa loja que estava liquidando todas as bolachas pra abrir espaços pros CDs, não tinha a menor ideia do que estava levando pra casa. Gostei pacas, mas não encontrava mais nada deles, frustração da porra – eram tempos pré-internet, e minhas habilidades de expedicionário musical ainda eram bem insipientes. Anos depois, gloria gloria, conheci Morphine e conectei de prima com o som, claro. Memória afetiva-musical ativada aos primeiros acordes.

E hoje, graças às minhas avançadas técnicas de aleatorismo aplicadas aos robozinhos algorítmicos do Youtube, me deparei novamente com esse som. Isso é mágica, bebê. Prazeres aleatórios me interessam.

Publicado em musica | Marcado com , , | 1 Comentário

Hard Time Killing Floor Blues – RL Burnside

Hard time’s is here
An ev’rywhere you go
Times are harder
Than th’ever been befo’

You know that people
They are driftin’ from do’ to do’
But they can’t find no heaven
I don’t care where they go

People, if I ever can get up
Off a-this old hard killin’ flo’
Lord, I’ll never get down
This low no mo’

Well, you hear me singin’
This old lonesome song
People, you know these hard times
Can’t last us so long

You know, you’ll say you had money
You better be sho’
But these hard times gon’ kill you
Just drive a lonely soul

RL(canção composta por Skip James e gravada originalmente em 1931 para a Paramount nos Estados Unidos em discos de 78 rpm. Skip foi retratado por Wim Wenders para a série The Blues. Esta versão de RL Burnside faz parte do disco Wish I Was in Heaven Sitting Down, de 2000, em que as músicas ganharam toques eletrônicos e de hip hop.)

Publicado em musica | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Posters de filmes de Buñuel

Este slideshow necessita de JavaScript.

Publicado em filmes | Marcado com , , | Deixe um comentário

Leminski do dia

Tenho andado fraco
levanto a mão
é uma mão de macaco

tenho andado só
lembrando que sou pó

tenho andado tanto
diabo querendo ser santo

tenho andado cheio
o copo pelo meio

tenho andado sem pai
yo no creo en caminos
pero que los hay, hay.

[Paulo Leminski In: Caprichos e Relaxos]

Publicado em poesia | Marcado com , | Deixe um comentário