Arquivo da tag: poesia

A Poesia é uma Arma Carregada de Futuro – Gabriel Celaya #umpoemapordia

Quando já nada se espera particularmente exaltante, mas palpitamos e seguimos aquém da consciência, feramente existindo, cegamente afirmando como um pulso que golpeia as trevas; quando miramos de frente os vertiginosos olhos claros da morte; dizemos as verdades: as bárbaras, … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | 1 Comentário

Julga-me a gente toda por perdido – Luís de Camões #umpoemapordia

Julga-me a gente toda por perdido, Vendo-me tão entregue a meu cuidado, Andar sempre dos homens apartado E dos tratos humanos esquecido. Mas eu, que tenho o mundo conhecido, E quase que sobre ele ando dobrado, Tenho por baixo, rústico, … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Nem Sequer Sou Poeira – Jorge Luis Borges #umpoemapordia

Não quero ser quem sou. A avara sorte Quis-me oferecer o século dezassete, O pó e a rotina de Castela, As coisas repetidas, a manhã Que, prometendo o hoje, dá a véspera, A palestra do padre ou do barbeiro, A … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Sísifo – Miguel Torga #umpoemapordia

Recomeça…. Se puderes Sem angústia E sem pressa. E os passos que deres, Nesse caminho duro Do futuro Dá-os em liberdade. Enquanto não alcances Não descanses. De nenhum fruto queiras só metade. E, nunca saciado, Vai colhendo ilusões sucessivas no … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Três Coisas – Mario Lago e Hermeto Paschoal #umpoemapordia

Três coisas pra mim no mundo Valem bem mais do que o resto Pra defender qualquer delas Eu mostro o quanto que presto É o gesto, é o grito, é o passo É o grito, é o passo, é o … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | 2 Comentários

Os lados – Paulo Mendes Campos #umpoemapordia

Há um lado bom em mim. O morto não é responsável Nem o rumor de um jasmim. Há um lado mau em mim, Cordial como um costureiro, Tocado de afetações delicadíssimas. Há um lado triste em mim. Em campo de … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Baile dos Enforcados (fragmento) – Arthur Rimbaud

Na forca negra, amável maneta Dançam, dançam os paladinos, Os magros paladinos do diabo, Os esqueletos dos Saladinos. Compadre Belzebu puxa pela gravata Seus fantoches que aos céus fazem negra careta, E açoitando-os na cara a golpes de sapata, Fá-los … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário