Arquivo da tag: poesia

Nem Sequer Sou Poeira – Jorge Luis Borges #umpoemapordia

Não quero ser quem sou. A avara sorte Quis-me oferecer o século dezassete, O pó e a rotina de Castela, As coisas repetidas, a manhã Que, prometendo o hoje, dá a véspera, A palestra do padre ou do barbeiro, A … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Sísifo – Miguel Torga #umpoemapordia

Recomeça…. Se puderes Sem angústia E sem pressa. E os passos que deres, Nesse caminho duro Do futuro Dá-os em liberdade. Enquanto não alcances Não descanses. De nenhum fruto queiras só metade. E, nunca saciado, Vai colhendo ilusões sucessivas no … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Três Coisas – Mario Lago e Hermeto Paschoal #umpoemapordia

Três coisas pra mim no mundo Valem bem mais do que o resto Pra defender qualquer delas Eu mostro o quanto que presto É o gesto, é o grito, é o passo É o grito, é o passo, é o … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | 2 Comentários

Os lados – Paulo Mendes Campos #umpoemapordia

Há um lado bom em mim. O morto não é responsável Nem o rumor de um jasmim. Há um lado mau em mim, Cordial como um costureiro, Tocado de afetações delicadíssimas. Há um lado triste em mim. Em campo de … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Baile dos Enforcados (fragmento) – Arthur Rimbaud

Na forca negra, amável maneta Dançam, dançam os paladinos, Os magros paladinos do diabo, Os esqueletos dos Saladinos. Compadre Belzebu puxa pela gravata Seus fantoches que aos céus fazem negra careta, E açoitando-os na cara a golpes de sapata, Fá-los … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , | Deixe um comentário

Nada Acontece Duas Vezes – Wislawa Szymborska #umpoemapordia

Nada acontece duas vezes e nem acontecerá. Por este motivo nasceremos sem prática e morreremos sem rotina. Mesmo que fossemos os mais estúpidos alunos do mundo na escola, não vamos repetir nenhum inverno, nenhum verão. Nenhum dia se repete, não … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Leminski do dia

Tenho andado fraco levanto a mão é uma mão de macaco tenho andado só lembrando que sou pó tenho andado tanto diabo querendo ser santo tenho andado cheio o copo pelo meio tenho andado sem pai yo no creo en … Continuar lendo

Publicado em poesia | Marcado com , | Deixe um comentário