Entre galos e cigarros, o amor – Flávio Morgado #umpoemapordia

cartas

o amor em sua ilusão
é como o fumo que se queima
e sabe em seu fogo
a existência.
mas enquanto se esvai,
atribui à boca que o traga
sua permanência.

o amor em sua metafísica
canta como os galos
que sabem alvorecer a manhã
mas tornam ao sono
na esperança de que o
próprio canto os desperte.

(Poema de Flávio Morgado publicado em seu primeiro livro, Um Caderno de Capa Verde, de 2013, pela editora 7 Letras)

Anúncios
Esse post foi publicado em poesia e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s