Três Coisas – Paulo Mendes Campos #umpoemapordia

Não consigo entender
O tempo
A morte
Teu olhar

O tempo é muito comprido
A morte não tem sentido
Teu olhar me põe perdido

Não consigo medir
O tempo
A morte
Teu olhar

O tempo, quando é que cessa?
A morte, quando começa?
Teu olhar, quando se expressa?

Muito medo tenho
Do tempo
Da morte
De teu olhar

O tempo levanta o muro.

A morte será o escuro?

Em teu olhar me procuro.

PMC(Paulo Mendes Campos nasceu em 1922 em Belo Horizonte e morreu em 1991 no Rio de Janeiro. Poeta e jornalista, é da mesma geração de Fernando Sabino, Otto Lara Resende e Helio Pellegrino. Seu primeiro livro, A Palavra Escrita, de poemas, foi publicado em 1951. Em 1962, experimentou LSD e relatou a experiência em artigos publicados na revista Manchete, reproduzidas depois nos livros O Colunista do Morro e Trinca de Copas.)

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em livros, poesia e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s