O amor louco – André Breton

“Para todo o sempre, como sobre a areia branca do tempo, e graças a este instrumento que se destina a medi-lo, mas que por ora apenas vos fascina e esfomeia, para todo o sempre, reduzido a um infinito fio de leite a escorrer de um seio de vidro. Perante e contra tudo, manterei que o sempre é a grande chave. Tudo o quanto amei – quer o tenha ou não conservado comigo -, sempre haverei de amá-lo.”

breton(Trecho do livro O Amor Louco, do poeta e escritor francês André Breton, um dos pais do movimento surrealista. Publicado em 1937, o livro reúne poemas, fotografias, divagações e reflexões sobre o amor, além de narrativas de casos acontecidos com ele em Paris. Para Breton, o amor pode ser comunicação do coração ou carnal, compulsivo. A união dos dois é o que ele chama de ‘amor louco’, o mais sábio e sublime que nossa alma pode alcançar.)

Anúncios
Esse post foi publicado em livros, poesia e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s