Silêncio, amor – autor desconhecido #umpoemapordia

Silêncio, amor
Deixe-me sentir o desabrochar do seu instinto
Quebrando os grilhões do preconceito
E se perdendo nas matas escuras do pecado

Silêncio, amor
Deixe-me saciar a sede de expectativa
nas curvas mais sensíveis do teu corpo
E depois me quedar no abandono do nada.

Silêncio, amor
Não digas nada! A vida é vibração apenas
Sintamo-las em todos os seus aspectos

Silêncio, amor
que a voz perturba

Silêncio, amor
Silêncio agora mais do que nunca
Porque não sentirás outra noite igual a esta
Porque está noite ficará separada e identificada
No marcador do tempo, assim como uma ilha de felicidade
cercada pelo mar imenso das incompreensões.

Agora, pode falar.

(Poema recitado por amigo do meu pai na festa de 15 anos de uma moça a quem ele cortejava)

Anúncios
Esse post foi publicado em poesia e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Silêncio, amor – autor desconhecido #umpoemapordia

  1. vani disse:

    Ilha de felicidade esse Escriba, sou fã 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s