Canção para Guitarra – Andrei Biéli

Eu
Estou nas palavras
Tão morbidamente
Mudo:
Minhas sentenças são
Máscaras.
E –
Falo
A vós todos –
– Falo
Fábulas, –
– Porque –
Assim me foi designado,
A razão –
Não a entendo;-
– Porque –
Há tempos tudo se foi no escuro,
Porque – tudo é igual:
Quer eu
Saiba ou não saiba.
Porque só há tédio em toda parte.
Porque a fábula é de esmeralda,
Onde –
Tudo é outro.
Porque há esta avidez dos borrifos
Do prazer;
Porque a difícil
Existência
Para todos –
– Tem um só desenlace.
Porque –
– Em suma,-
– Para que
Este inferno?
Porque –
– Para todos
Há um só fim.
E me rompe este riso.
Do
Destino
De todos –
– E –
– De
Mim.

(poema de 1922 do poeta, romancista e crítico literário russo Andrei Biéli, um dos precursores do cubofuturismo. Tradução de Augusto de Campos)

Anúncios
Esse post foi publicado em poesia e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s