Novo livro de Alan Moore tem 1 milhão de palavras (e nenhuma editora)

Alan Moore

O bruxo Alan Moore acaba de por o ponto final no que em breve será o segundo romance de sua carreira, Jerusalem, iniciado em 2008. Quem deu a notícia foi sua filha, Leah, na página que mantém pro pai no Facebook. Segundo ela, a obra tem mais de um milhão de palavras (!) e só falta editar. Pra se ter uma ideia do tamanho da bagaça, tem 200 mil palavras a mais do que a Bíblia! Trabalhinho fácil, hein?

AlanMoore

Pelo que li aqui e ali sobre o novo livro do Moore, será novamente uma ode à sua cidade natal, Northampton, na Inglaterra, como foi em A Voz do Fogo, lançado em 1996. Em cada capítulo, segundo o próprio autor, um membro de sua família é homenageado, e o estilo do texto também muda – pode ser parecido com uma peça de Samuel Beckett, lembrar o estilo joyceano n’outro. Moore diz que um dos capítulos foi escrito numa linguagem que praticamente inventou, sendo quase incompreensível. Cara, estou curioso pacas pra ver o que o velho bruxo aprontou dessa vez…

Não há data certa para o lançamento de Jerusalem, parece que nem editora o Alan Moore conseguiu ainda para por o novo livro na praça. O jeito é ficar atento ao noticiário – online, principalmente – e torcer pra que alguma editora brasileira se anime a trazer a obra pra cá o quanto antes.

Nessa entrevista acima, no ‘tapete vermelho’ do festival Frightfest 2014 (festival de cinema fantástico, suspense e de terror), Alan Moore falou um pouco sobre o seu novo livro. Vou transcrever porque a entrevista, claro, está em inglês. E pior: um inglês truncado. Pior ainda: a voz do Moore é sorumbática e deixa tudo ainda mais confuso. Eu já aprendi a decifrar o inglês do cara, então custa nada ‘traduzir’:

“Estou a seis páginas do final [a entrevista foi concedida em agosto passado] do meu romance gigantesco, Jerusalem, que é maior do que a Bíblia, e será um pouco menor do que as obras completas de Shakespeare. Eu não estou dizendo que essa enorme quantidade significa algo em termos de qualidade, mas vou deixar isso meio que no ar para que os outros talvez pensem isso… Tenho orgulho de todo o meu trabalho, tirando aquela parte de super-heróis que eu fiz e que todo mundo gosta. Não tenho mais cópia alguma daquilo em casa, não aguento nem olhar pr’aquilo. Foi muito doloroso, muitas perdas de amizades… As coisas que mais me excitam são sempre as coisas que estou fazendo agora. Isso inclui este filme (Show Pieces – veja o trailer aqui), inclui o livro Jerusalem. As coisas que estou fazendo agora são genuinamente muito melhores do que qualquer coisa que já fiz antes, porque… bom, espero que seja mesmo, porque senão estou deteriorando, né mesmo?”

Neste outro vídeo, Moore lê um dos capítulos do seu novo livro na Biblioteca de Northampton, num evento que rolou no início do ano.

Anúncios
Esse post foi publicado em livros e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Novo livro de Alan Moore tem 1 milhão de palavras (e nenhuma editora)

  1. Pingback: Alan Moore, 61: “Magia é a arte de manipular palavras” | O Escriba

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s