Desvendando o curta de Lelouch

Com a internet, difícil pergunta ficar sem resposta. As muitas dúvidas que eu e muita gente tinha sobre o curta C’etait un Rendezvous, de Claude Lelouch foram desfeitas com este outro vídeo aqui, garimpado pelo meu camarada Fábio José (esse cara ainda vai ter um blog, e dos bons!).

Até onde meu pobre francês permitiu (seria legal alguém pôr umas legendas em português na parada), pesquei o seguinte: o filme foi começou às 5h45 em Paris, às margens do rio Sena, na Port Dauphine e levou nove minutos até Montmartre, a bordo de uma Mercedes 450 SEl prata. Lelouch escolheu esse carro, em vez de um esportivo, por causa da suspensão hidramática, para evitar que a imagem ficasse muito trêmula. Ele montou a câmera no párachoque dianteiro e tinha 10 minutos de filme apenas. Foi o próprio cineasta francês quem dirigiu o carro e não um piloto de F1 como se cogitou à época – Jacques Laffitte e Jack Ickx, estavam entre os possíveis candidatos. A velocidade foi mesmo alta em vários trechos. Na grande avenida que o leva ao Arco do Triunfo, ultrapassou os 200 km/h, além de vários sinais vermelhos, que lhe renderam algumas multas e quase a prisão.

Ao jornalista que o acompanhou no carro refazendo o trajeto, narrou as curvas e frenagens, além de explicar que escolheu o caminho na hora, durante a filmagem, o que explica as viradas bruscas e aparente indecisão em alguns momentos.

Lelouch se diz maravilhado por constatar que a luminosidade em 2006 é idêntica a de 1976. Já eu fiquei impressionado como Paris mudou muito pouco no visual em 30 anos. A paisagem é quase a mesma. Confira!

O curta na íntegra:

 

Anúncios
Esse post foi publicado em carro. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Desvendando o curta de Lelouch

  1. fabricio disse:

    bom demais isso, jorge…

    vou se um amigo consegue traduzir.
    só não sei pôr as legendas. alguém sabe?
    abraço

  2. Vou tentar ajudar com a legenda…

  3. fabrício disse:

    beleza, vou falar com o moreno então. dar esse exercício pra ele. hahaha.

  4. Léo Bueno disse:

    Para alguém que fez ‘Um Homem, uma Mulher’, é uma volta por cima e tanto.
    E uma proposta: vamos juntar os blogs numa campanha “um blog para o Fábio José” agora.

  5. escriba disse:

    hahaha, apoiado Léo!! O foda é que quando ele tiver um blog, vamos todos perder audiência – e virar leitores do cara …

  6. fabricio disse:

    jorgê…
    descolei um amigo pra fazer, mas ele não se mexeu muito para tentar a tradução.
    vou falar então com uma amiga minha. tentativa dois..hhehehe..
    fiquei muito curioso.
    abração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s