Tommy Guerrero: das pistas de skate pro estúdio, com a mesma pegada desconstraída

Tommy Guerrero

Como skatista, Tommy Guerrero era conhecido por um estilo mais largadão e descontraído, e assim conquistou fãs e sucesso na costa oeste dos Estados Unidos nos anos 80, fazendo parte de um time de skatistas profissionais da Califórnia. O tempo passa, e ele decide descambar pra seara da música, trocou os skates por violões. Começou tocando em pequenos grupos de São Francisco, depois se meteu em carreira solo, e vou te falar, tá fazendo bonito, com um estilo de música que vai do rock e jazz pro hip hop e funk.

Já gravou oito discos (um deles, Perpetual, foi lançado apenas digitalmente em 2015), dos quais escutei uns três com prazer entre ontem (em casa, quando o descobri por minhas navegações aleatórias pelo youtube) e hoje (no trabalho).  Soul Food Taqueria (2003) tem mais elementos eletrônicos e de hip hop, Loose Grooves & Bastard Blues (1998, o primeirão) é mais cru e violeiro, já indicando os caminhos por onde seguiria, e o meu favorito (até o momento), Lifeboats and Follies (2011), que tá aí embaixo na íntegra, que é uma mistureba das boas de referências e muito bem gravado e editado. Destaquei uma das músicas do disco que mais me chamou a atenção, Que S’est-il Passe – seja pela boa batida latina e parceria suingada entre órgão e baixo, seja pelo divertido vídeo de turista no verão mediterrâneo.

Anúncios
Esse post foi publicado em musica e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s