O dia em que pensei ter irritado as Forças Armadas com publicação de um vídeo no Blog do Planalto

livro1O ex-ministro e jornalista Franklin Martins estava anteontem no programa Espaço Público, da TV Brasil, pra divulgar o seu novo livro, Quem Foi Que Inventou o Brasil, uma trilogia que conta a história de um século de política no Brasil – de 1902 a 2002 – por meio das canções lançadas no período.

Bom de papo, Franklin explicou aos entrevistadores – Paulo Moreira Leite, Florestan Fernandes Júnior e Andréa Jubé – que começou a se interessar pelo tema em 1997, colecionando músicas, lendo livros a respeito e entrevistando personagens. O material foi sendo publicado aos poucos num antigo site que tinha (não lembro o nome agora, nem sei se ainda está no ar), e quando saiu do governo do ex-presidente Lula decidiu arregaçar as mangas pra fazer o livro. Era tanto material que acabou gerando três volumes. São 1.100 canções reunidas na coletânea, além de informações sobre o contexto das músicas e histórias sobre os fatos políticos e seus personagens. Assim que minhas finanças permitirem, vou adquirir os três livros – por enquanto, tô num momento ‘ajuste fiscal’.

joaocandidoConheci esse lado do Franklin de colecionador de antigas canções brasileiras quando trabalhei com ele na época do governo Lula. Ele era ministro, eu editor do Blog do Planalto. Foi em maio de 2010. Lula tinha ido ao estaleiro no Porto de Suape inaugurar o primeiro navio petroleiro construído no Brasil em 13 anos, batizado de João Cândido, em homenagem ao marinheiro que liderou a Revolta da Chibata em 1910. Ao escrever o post para o Blog, lembrei da música Mestre Sala dos Mares, do João Bosco, que também homeageava Cândido. Fui ao Youtube e descobri um vídeo com música e imagens da época da Revolta. Detalhe: nesse vídeo, João Bosco canta a letra que todo mundo conhece, mas o vídeo traz na legenda a letra original, que foi modificada por exigência da censura da ditadura militar para ser gravada em 1975. Por exemplo: em vez de “salve, o navegante negro”, como João Bosco canta, a letra diz “salve, o almirante negro”. E assim por diante. Veja o vídeo:

Não tive dúvidas: botei o vídeo no post e publiquei. Não deu 15 minutos e recebi uma ligação do ministro Franklin.

“Jorge, você pode vir à minha sala? É sobre o post que você publicou agora”, disse ele, com autoridade.

“Claro, ministro. Tô indo.”

Gelei. Caramba, será que a o ministro da Marinha viu o post com o vídeo e ficou puto, ligando pro Franklin pedindo explicações? Foi o que pensei na hora que desliguei o telefone. Afinal, a letra original de Mestre Sala dos Mares chama João Cândido de “almirante negro”!

Levantei, ajeitei a gravata e fui ao gabinete do ministro, que ficava em frente à sala do Blog num dos longos corredores do CCBB – a estrutura da Presidência funcionava lá em 2010 porque o Palácio do Planalto estava em reforma. Chegando à sala do Franklin, as teorias conspiratórias haviam tomado conta de mim. Imaginei encontrar oficiais preparados para me levar preso, sob o olhar severo do ministro da Marinha.

Quando entrei, Franklin estava de costas para a porta, olhando algo na internet.

“Senta aí, Jorge.”

Sentei e esperei a sentença. Não tinha oficial da Marinha algum, mas da exoneração não escaparia.

“Você publicou um vídeo com música do João Bosco, não foi? Boa música”

“É, ministro. E tem a letra original, você viu? Se isso cria algum problema, posso tirar, sem problema…”

“Não, não, ficou muito bom. Te chamei aqui porque queria te mostrar uma outra música que fala justamente da Revolta da Chibata, e foi composta no ano que ela ocorreu” , disse ele, abrindo a página do seu site e me mostrando a música, “Os Reclamantes”, de Eduardo das Neves.

Passamos quase uma hora ali no gabinete falando de música, e ouvindo várias delas. Franklin contava histórias de como conseguia as músicas, lamentava não poder dar mais atenção ao site e ao hobby, e me mandou por email a letra, pra eu publicar no post da inauguração do navio João Cândido.

Não preciso dizer que voltei pra minha sala aliviado… 🙂

Anúncios
Esse post foi publicado em livros, musica, politica e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O dia em que pensei ter irritado as Forças Armadas com publicação de um vídeo no Blog do Planalto

  1. Fábio José de Mello disse:

    Boa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s