Quadrinista e jornalista Joe Sacco discute qual o limite do humor e da sátira

“Quando desenhamos uma linha, frequentemente a cruzamos também. Porque linhas no papel são armas, e sátira foi feita para cortar até o osso. Mas osso de quem? Qual exatamente é o alvo?”

Agora que a poeira do ataque à revista francesa Charlie Hebdo abaixou, podemos discutir melhor o humor e a sátira, e seus limites e consequências. Joe Sacco, quadrinista e jornalista, premiado em ambas categorias com as HQs sobre a Palestina, coloca alguns pingos nos ‘iis’, discutindo o assunto de maneira equilibrada. Sim, ele diz, podemos desenhar, debochar e criticar o que quisermos. Mas com qual propósito? Onde queremos chegar? Veja o quadrinho que Sacco fez, publicado hoje pelo The Guardian:

joesaccoonsatire1200

Anúncios
Esse post foi publicado em civilização, HQs e charges e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s