Arrepio

corpos

Nenhum dos sentidos é repetição. Ainda que se tenha escutado aquele som, hoje está em outros lábios. Por mais que se tenha olhado aquela criança, agora está em outro tempo. A pele é o que menos se repete no corpo. Por mais que se suplique por aquilo – aquela carícia, aquele atrito, aquela travessia -, sempre receberá isto – esta carícia, este atrito, esta travessia. A linguagem que sente é uma voz com alguém atrás, um silêncio com alguém dentro.

(Carlos Skliar, em Hablar con desconocidos, 2014 – foto Em um momento sensual, de Carsten Witte)

Anúncios
Imagem | Esse post foi publicado em fotografia e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s