Ninfomaníaca é cinema de gente grande

A segunda parte de Ninfomaníaca, mais recente filme do cineasta dinamarquês Lars von Trier, confirma o que vislumbramos na primeira parte: o diretor é um dos maiores do seu tempo e a obra é um clássico instantâneo. Feminista até o talo (como bem apontado neste texto), iconoclasta, herético, o filme explora praticamente todas as nuances da sexualidade humana, as agruras dos párias sexuais, o claustro angustiante da condição feminina num mundo machista. 

Algumas cenas de Ninfomaníaca entram desde já no panteão das melhores de todos os tempos da telona, como o confronto de Charlote Gainsbourg com um personagem com claras tendências pedófilas mas que nem de longe é vilão, ou a cena derradeira que, apesar de meio óbvia, é filmada de maneira tão espetacular e amarra tão bem a história, que tem o impacto desejado como ponto final – e ainda conta com a ajuda providencial da bela versão de Gainsbourg para Hey Joe. 

Esse post foi publicado em musica e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s